Segunda-feira, 5 de Novembro de 2007

aventura na linha do tua - 3º dia

De Santa Comba de Rossas até Bragança

Desta vez, dormimos e acordamos sem sobressaltos de maior. De tal forma, que despertamos com um espírito particularmente desportivo. Para além de mais algumas partidas de arremesso à lata (para nos desforrarmos do esquecimento da noite anterior), tivemos ainda tempo e oportunidade para uma partida de matrecos, num dos cafés da aldeia

Iniciamos então a nossa caminhada e o primeiro ponto de paragem, foi a estação de SortesKm 117,1. Apesar de ter sido restaurada, esta estação está descaracterizada, pois retiraram o reboco das paredes em pedra. No entanto, fica bem mais agradável assim, do que a cair de podre. Para além disso, ainda tornaram o local num ponto de convívio para os cidadãos da aldeia - piqueniques e churrascadas, etc. Muito catita.

                              

No percurso até ao apeadeiro seguinte, que surge ao quilómetro 119,8 de seu nome Remisquedo, deparamo-nos com um túnel, que despertou em nós o sentimento nostálgico da passagem real do comboio, onde não faltou a famosa piada:

- “Luz ao fundo do túnel. Esperemos bem, que não seja o comboio que lá vem!”

                                  

Uns minutos mais de caminhada e eis que nos deparamos com mais uma ponte. Devido às suas grandes dimensões e ao estado em que se encontrava, optamos por voltar à estrada. Gostaria que neste blogue ficasse referido o principal responsável por esta tomada de decisão. A minha sobrinha, que mesmo estando ainda na barriguita da mãe, já foi decisiva!

                    

Seguimos depois por estrada até Rebordãos (Km 122,1) onde regressamos à linha, seguindo directos até Mosca, que se nos deparou à passagem do quilómetro 125,6 que foi o local escolhido para o almoço desse dia. Não sem que antes, disputássemos mais algumas partidas de arremesso à lata. Esta estação, apesar de estar de pé, encontra-se bastante degradada.

                                     

Após o almoço, procuramos um café na aldeia e ainda tivemos tempo e oportunidade, apesar de algumas limitações físicas, de colaborar na tentativa de retirar um carro de uma cave, por uma rampa consideravelmente acentuada. No entanto, todo o nosso esforço foi em vão, uma vez que a viatura se recusou a trabalhar e/ou sair da garagem. Devemos referir que fomos persistentes. Diria mesmo, que acima das nossas capacidades, uma vez que efectuamos três tentativas, numa das quais, o proprietário da viatura tentou colocar o carro a funcionar engatado em 3ª!! Já era esforço a mais, sobretudo para atletas de alto nível de arremesso da pedra, que haviam estado em competição constante nos últimos dias. Enquanto três de nós estávamos neste exercício, o quarto vagabundo ficou às escuras. Lembras-te Luís?!                                    

Regressados à estação onde havíamos almoçado (e já necessitávamos repetir, graças ao esforço físico desenvolvido entretanto), iniciamos o percurso rumo ao destino final, a estação de Bragança.

                                 

Este último troço do percurso encontra-se muito descaracterizado. Sobretudo, a partir da actual Zona Industrial da cidade. Encontramos muito lixo e pontualmente, tivemos inclusive algumas dificuldades em detectar o rasto do traçado da linha.

Chegados à cidade, perdemos mesmo por completo o fio à meada, tendo encontrado os últimos vestígios, perdidos no centro da cidade, num bairro que segue até à estação de Bragança, que nos surgiu após 75,6 quilómetros de caminhada, logo, à marca de 133,8. Esta, encontra-se em muito bom estado, tendo sido adaptada como central de camionagem de passageiros, com uma decoração a fazer lembrar os tempos em que o comboio por lá circulava.

                                          

Aí, registamos fotograficamente o final da nossa aventura e tomámos a bebida que já vínhamos reclamando desde o primeiro dia. A chamada “minie”!

publicado por vagabundos às 10:42
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.frase / pensamento

"faz-se caminho caminhando"

.normas de conduta

1. seguir somente pelos trilhos sinalizados 2. cuidado com o gado, por norma não gosta da aproximação de estranhos 3. evitar barulhos e atitudes que perturbem a paz local 4. observar a fauna à distância 5. não danificar a flora 6. não abandonar o lixo, levando-o até um local onde exista serviço de recolha 7. fechar cancelas e portelos 8. respeitar a propriedade privada 9. não fazer lume 10. ser afável com os habitantes locais

.posts recentes

. aventura na linha do tua ...

.arquivos

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Março 2013

. Agosto 2012

. Abril 2012

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Abril 2011

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Abril 2010

. Fevereiro 2010

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Junho 2009

. Abril 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Novembro 2007

.tags

. todas as tags

.Novembro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.links