Segunda-feira, 20 de Abril de 2009

santiago de compostela - 5ª etapa

Depois de uma noite bem passada em Rubiães, lá partimos nós, uma vez mais os últimos a abandonar o Albergue, que apesar de recente, tem sensivelmente o mesmo número de registos que o de S. Pedro de Rates.

Rumamos a um pequeno café com mercearia e casa de sementes, um verdadeiro tudo em um, na freguesia do Cossourado, onde ganhamos algum tempo de conversa com o simpático proprietário, que nos preparou umas belas sandes de fiambre com pão.

Passado o Coura, subimos ligeiramente para S. Bento da Porta Aberta, sendo visíveis ao longo do caminho diversas marcas de outras rotas, bem como marcos milenários que assinalam a Via Romana do Atlântico.

Após Fontoura, atravessamos uma ponte Romana, que atravessa o Rio Pedreira, onde ultrapassamos a nossa companheira sul africana, que aproveitava os raios de sol, saboreando uma cerveja, segundo ela muito boa, mas que desconfiamos por não estar à temperatura ideal. Ai se estivesse!

Como tínhamos decidido, paramos em Tuido para almoço, no entanto, contrariamente ao planeado, decidimos dar outro tipo de alimento ao corpo, deixando a bela broa e o queijo para mais tarde, que não deixaram saudades perante a bela carne assada e respectivas batatas de acompanhamento, regadas por um vinho verde tinto. Era mesmo o que precisávamos…

Entretanto, mesmo às portas de Valença, fomos surpreendidos com a decoração, algo estranha, de um jardim, cravejado de garrafas e vieras, o símbolo mítico de Santiago, para auguro de boa viagem, que se confirmou.

Já em Valença, trepamos o vale que cerca o forte, completamente repleto de jovens escuteiros em actividade.

Procuramos a ponte internacional, avistando-se a Sé Catedral de Tui, para onde nos dirigimos rumo ao Albergue existente nas imediações, mas ao qual, só com ajuda chegamos face à inexistência de indicações para o mesmo.

Hoje podemos dizer estar com a casa cheia, dado haver inúmeros peregrinos a iniciar o Caminho a partir deste ponto. Decorrem por esta altura as festividades em honra de S. Telmo, mas que não acompanharemos face ao regulamento rígido do Albergue, em termos de horários, isto para não darmos parte de fracos e admitir necessitarmos do descanso para a etapa de amanhã…

Ultreya!

 

publicado por vagabundos às 10:04
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.frase / pensamento

"faz-se caminho caminhando"

.normas de conduta

1. seguir somente pelos trilhos sinalizados 2. cuidado com o gado, por norma não gosta da aproximação de estranhos 3. evitar barulhos e atitudes que perturbem a paz local 4. observar a fauna à distância 5. não danificar a flora 6. não abandonar o lixo, levando-o até um local onde exista serviço de recolha 7. fechar cancelas e portelos 8. respeitar a propriedade privada 9. não fazer lume 10. ser afável com os habitantes locais

.posts recentes

. Mix de Caminhos - de 12 a...

. Caminho do Norte (de Baam...

. CAMINHO PRIMITIVO (de Fon...

. Caminho Primitivo de Sant...

. Caminho Francês de Santia...

. Linha do Corgo da Régua a...

. Via da Prata - Santiago d...

. Linha do Douro 21 a 23 Ou...

. Rota Freixa da Misarela -...

. Caminho Português Santiag...

.arquivos

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Março 2013

. Agosto 2012

. Abril 2012

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Abril 2011

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Abril 2010

. Fevereiro 2010

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Junho 2009

. Abril 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Novembro 2007

.tags

. todas as tags

.Novembro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.links